14 fevereiro 2012

FRUTO E EXEMPLO





Fruto e Exemplo

Livro: Plantão de Paz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

    Revela-se a árvore na gleba em que se desenvolve por valioso conjunto de utilidades, quais sejam:

      . a seiva de que se nutre;
      . as frondes que albergam ninhos;
      . a flor que perfuma;
      . a sombra que ameniza;
      . o aspecto que balsamiza;
      . o lenho que reaquece.
    Todavia, se não estende o fruto que lhe assinala a espécie, no socorro às criaturas que lhe observam o crescimento, terá desertado do objetivo fundamental a que se destina, reprovando a si mesma na solidão e na esterilidade.

    Assim também o homem, no campo da luta em que se estagia, destaca-se por toda uma equipe de qualidade que lhe marcam a rota, como sejam:
      . a força com que se eleva;
      . a inteligência com que domina:
      . as ligações afetivas com que se associa a outros seres;
      . o ideal que se inflama;
      . o verbo que manifesta;
      . a compreensão com que se orienta;
      . o entusiasmo de sonhar e realizar que lhe distingue os impulsos.
    Entretanto, se foge à ação construtiva do exemplo nobre com que se exprimirá no edifício do progresso de todos, em favor dos irmãos que lhe buscam inspiração e modelo, em verdade terá perdido o ensejo divino para que foi trazido à existência, sentenciando-se à frustração.
    No reino vegetal, todo o paciente esforço da árvore, sob o império das estações, tende à produção do fruto com que se desincumbirá do compromisso máximo, à frente da natureza; e no campo humano todas as atividades laboriosas do espírito, sob o domínio da experiência, visam à demonstração do exemplo renovador com que enriquecerá a economia da vida, através dos valores físicos ou espirituais.
    Vigiemos as nossas próprias ações no santuário das horas de cada dia, porque para todos nós prevalece o aviso de Jesus quando asseverou, convincente:
    - "Pelos frutos conhecê-los-eis."

Enviar um comentário