29 fevereiro 2012

O RETORNO DA MULHER SELVAGEM-Maria Madalena


Uma mensagem de Maria Madalena canalizada
 por Pamela Kribbe - Dezembro de 2011


Queridos amigos,

Nós três estamos presentes aqui hoje: Jeshua, Maria e Maria Madalena. Sentimo-nos honrados de estar aqui com vocês. Nós os vemos como nossos irmãos e irmãs. No nível do coração, somos um só. Para mim, Jeshua, é especialmente libertador estar aqui ao lado das minhas amigas, porque geralmente sou visto como o único representante da energia Crística. Entretanto esta não é toda a verdade. Houve mulheres ao meu lado, na minha vida, que foram essenciais para a minha missão. Naqueles tempos, não era aceitável que mulheres fizessem o que eu fazia – ensinar em público. Mas tanto minha mãe quanto Maria Madalena eram guerreiras espirituais. Elas me ajudaram a plantar as sementes da consciência Crística.


Hoje falaremos sobre as energias masculina e feminina. Eu e minhas companheiras de alma falamos em uma só voz. Na sua História, a energia feminina foi profundamente ferida. Isto teve consequências importantes para as mulheres e para os homens na Terra. Não foram apenas as mulheres que sofreram com o domínio masculino; os homens também foram feridos.

Discutiremos primeiro o ferimento do feminino. Pedimos a cada um de vocês que imagine uma pessoa do sexo feminino. Ela representa toda a energia feminina. Essa energia foi degradada e tratada com violência. O efeito que isto teve na mulher foi que ela se afastou da parte inferior do seu corpo, onde seu poder residia. Principalmente quando há violência sexual, o trauma emocional leva a mulher a retirar sua consciência da parte inferior do seu corpo.

Visualize uma mulher diante do seu olho interno. Ela representa a energia coletiva das mulheres. Nessa imagem, você pode ver que existe uma espécie de buraco na região da sua barriga. Ela afastou sua consciência dessa área e sente-se insegura porque lhe falta a base, a fundação. Dentro da barriga dela, você pode ouvir gritos de angústia e dor. E gostaríamos de pedir a cada um de vocês – tanto homem quanto mulher – que irradie luz para essa mulher, para a região de sua barriga. Desta maneira, você também está oferecendo-a a si mesmo.

Agora Maria Madalena quer falar.

Eu sou Maria Madalena. Amo-os profundamente. Sempre estou com vocês. Eu me elevei acima do ferimento do feminino e agora desejo tocar essa área de dor muito delicadamente, para ajudar as mulheres a se curarem. Gostaria de vê-las nascendo de novo com alegria e firmeza, para que o poder do feminino possa retornar de um modo pacífico. Não desejo brigar nem lutar. Venho em paz e tenho um apelo especial às mulheres. Todas vocês foram feridas na História, mas neste momento estão recuperando sua força. Esta é a sua Era, este é o seu momento. Quero relembrar-lhes que os homens também precisam de ajuda agora. Vocês, como mulheres, estão familiarizadas com o ferimento em suas barrigas, com a dor e o trauma de serem degredadas. Mas o que aconteceu com os homens?

Devido às energias masculinas dominantes no passado e as energias de poder e opressão, os homens foram forçados a fechar seus corações. Eles tinham que ser fortes e duros, pois esta era imagem ideal de um homem. Mas, desta maneira, os homens ficaram alienados de sua parte sentimental. Muitos homens ficaram presos em suas cabeças, tendo dificuldade de expressar suas emoções e sentimentos. A falta de habilidade para se conectar com o lado sentimental, o lado feminino, também é um ferimento. Você não vive plenamente se não tiver acesso aos próprios sentimentos. De fato, você se desconecta da sua alma. Em muitos homens há uma sensação de solidão e alienação que é percebida como um buraco em seus corações.

Então, veja: tanto os homens quanto as mulheres foram feridos no passado. O ferimento da mulher está localizado na região da barriga; o do homem é como um buraco em seu coração. Desejo dizer a cada uma das mulheres que, ao recuperar seu poder, ao reconhecer sua verdadeira força, estenda as mãos para os homens; eles precisam de sua ajuda. Eles se tornaram alienados, estranhos ao lar. Tenha a bondade no seu coração de ser compassiva com eles. A Nova Terra só pode nascer se vocês fizerem as pazes. Se o homem e a mulher entenderem o ferimento um do outro, eles poderão construir uma ponte entre ambos.

Peço a cada mulher que se junte a mim, enviando luz para o buraco em sua barriga. Visualize uma corda se desenvolvendo a partir dessa luz e entrando na Terra. Sinta sua conexão com a mãe Terra como com uma mulher. Sua energia feminina é tão poderosa e essencial para a vida! Lembre-se da sua verdadeira força. Ao sentir sua autoconsciência aumentar, volte-se para os homens e envie luz para o buraco em seus corações.

Vocês estão no limiar de um novo tempo na História. Vocês foram feitos para se unir como homens e mulheres. Vocês estão convidados a terem alegria e a rirem outra vez como seres humanos. Em muitos de vocês eu vejo guerreiros cansados; vocês lutaram demais e alguns estão muito cansados e decepcionados. A resposta à dor de vocês está numa vida muito simples. Com isto quero dizer: sentir-se verdadeiramente conectado à Terra novamente e aproveitar os prazeres simples de ser humano. Vivenciar o amor entre homem e mulher, ter amizade com pessoas de interesses em comum e viver em paz com o meio-ambiente e a natureza são as promessas da Nova Terra.

Na minha vida na Terra, vivenciei profundamente o ferimento do feminino. Eu era uma amiga querida de Jeshua. Podia sentir sua força e sabedoria, mas também suas dores e dúvidas. Havia um entendimento íntimo entre nós dois. Senti profundo pesar e tristeza quando ele teve que deixar a Terra, quando ele foi morto. Muitas vezes, quando ele falava conosco, eu podia sentir suas mensagens não só na minha cabeça, mas por todo o meu corpo. Eu não gostava de discutir sobre suas idéias, sobre suas mensagens, como seus discípulos homens faziam. Nesse sentido, eu era um pouco diferente deles. Às vezes eles zombavam de mim e eu me sentia só. Eu era vista como uma “mulher selvagem”, eu não era nada convencional. Hoje em dia, estou muito contente de ver que mulheres selvagens são bem-vindas de novo no mundo!

Muitas coisas mudaram desde os tempos de Jeshua. Eu lhes digo: as mulheres selvagens serão as líderes do novo mundo! Convido cada uma de vocês a assumir seu verdadeiro poder. No passado, quando uma mulher era considerada “selvagem”, isto é, independente, não convencional e apaixonada, ela geralmente era rotulada de histérica. Na Idade Média, ela era chamada de bruxa. Mas na verdade, essas mulheres – eu fui uma delas – eram movidas pelo amor. Agora está na hora da mulher mostrar novamente seu verdadeiro poder, não de um modo agressivo, mas de uma forma que reconcilie as energias masculina e feminina.

 por Pamela Kribbe - Dezembro de 2011
Enviar um comentário